terça-feira, 22 de março de 2011

NA CONTRAMÃO DO PLANETA





REFLETE COMIGO:


 Quando se trata na diminuição do CO2 no mundo, o Brasil parece caminhar em sentido contrário, explorando cada vez mais todo o potencial dos combustíveis fósseis e investindo grandes somas de recursos tecnológicos, humanos e financeiros para produzir algo que outros países estão, pouco-a-pouco, abandonando.

No final de 2010, a fábrica da Honda no Japão anunciou que está tirando de sua linha de fabricação o Honda Civic (naquele país), devido seu alto consumo e, consequentemente, maior emissão de poluentes. Isso se deve porque no Japão os consumidores estão cada vez aderindo mais aos transportes coletivos (que são coisa de primeira...) e aos carros híbridos e compactos, pela baixa poluição emitida desde a sua fabricação.

Por outro lado, as indústrias automobilísticas que estão se instalando no Brasil, como a Hyundai, estão “fincando o pé” na produção de veículos com potência acima de 3.0. Assim, também, as revistas especializadas do setor automotivo parecem focar os potenciais clientes destes veículos, aguçando seu desejo de possuírem um carro cada vez mais potente (e mais poluente...)

Até o setor de motocicletas tem investido “alto” (se bem que o narigudo global da propaganda não é tão “alto”) neste objetivo: somem das propagandas as motos 100cc e entram motos 250cc e 300cc que terão como público alvo principal os usuários que procuram mobilidade nas metrópoles mais poluídas do país.

Em sua visita ao Brasil (19 e 20 de março), Barack Obama discursou no Teatro do Rio, mencionando a produção de combustíveis do Brasil a partir de fontes renováveis, especialmente o etanol. Elogiou nosso trabalho neste aspecto, sugerindo, inclusive, parcerias/intercâmbios para aprimoramento da tecnologia de sua produção e, consequente, benefício do mundo.

Mas, ao contrário do que se discursa/prega, o brasileiro tem optado a cada vez menos abastecer o veículo com combustíveis como o etanol por não “compensar” de maneira imediata no bolso, pois, segundo especialistas, o preço do etanol deveria ser no máximo 70% do preço do litro da gasolina, para que o critério custo-benefício possa permanecer.

Para acalorar ainda mais as discussões sobre a questão ecológica, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) teve a feliz ideia de propor como tema para 2011 “Fraternidade e a Vida no Planeta”. Ótima e oportuna sacada, pena que nem sempre as Comunidades locais entram na discussão dos temas propostos pela Conferência, ficando o assunto no “campo das ideias” e pouco resultado prático (como observado em outras campanhas da CNBB ou em campanhas de outras entidades não-governamentais).

Metas, tratados, protocolos vêm se arrastando e sendo propostos a cada Encontro Mundial para discutir a questão da poluição e aquecimento global. Mas, ninguém quer abrir mão do lucro do seu país e de seus interesses econômicos (assim como os brasileiros que optam por usar combustíveis fósseis em lugar de combustíveis “ecologicamente corretos”).

Outro assunto bem prático que podemos, ainda, mencionar é a questão do lixo doméstico e sua reutilização. O Brasil tem assinado, pelo ex-presidente, a Meta 2014. Mas, alguém já ouviu falar da mesma? Nada ou quase nada. O objetivo da Meta 2014 é proibir o depósito em aterros sanitários de qualquer tipo de resíduo que seja passível de reciclagem ou reutilização, fazendo com que prefeituras coloquem em seu planejamento anual uma determinada fatia do orçamento para educar a população a realizar a separação dos resíduos e criar meios, efetivos, para a coleta seletiva. Imaginem se funcionar...

Para “apimentar” a discussão, o tema proposto aos alunos do Colégio ULBRA Palmas na Mostra Científica de 2011 será DESENVOLVIMENO SUSTENTÁVEL, que terá quatro sub-temas: impactos ambientais, novas tecnologias, biodiversidade, produção de novas energias.

O tema está na pauta: do mundo, do país, do estado, do município, da sociedade, do colégio... Vá recilhando suas ideias e busque o conhecimento necessário para seu projeto e também para auxiliar SEU planeta. Ou vamos continuar na contramão do mesmo?!?

“Pois sabemos que até agora o Universo todo geme e sofre como uma mulher que está em trabalho de parto.” – Romanos 8.22

Deus abençoe.

19 comentários:

Anônimo disse...

Pegando como ponto de partida o inicio de texto. Penso que é mais que necessário o Brasil ter esse tipo de atitude, até mesmo porque muito estudiosos dizem que o Brasil é o “ pulmão do mundo”. Logo é necessário procurar uma forma de reduzir a liberação de CO2 no Brasil. Isso não quer dizer que só porque o Brasil é tachado como que ele deve fazer isso. Não. Mas é uma forma de ter uma preocupação maior.
Não só o Brasil mas como também todos os outros países do mundo, devem tomar providências, para que ocorra essa redução. Ou então lançar projetos na sociedade para conscientizar a todos da grande problemática do mundo.
É interessante ver que países como o Japão(pais bastante produtor de automóveis), está preocupado com a produção de CO2 ao ponto de para com a fabricação de um automóvel. Mas é triste ver que nem todos tem a mente a aberta para fazer isso, e ver que a ganância pelo dinheiro ainda é muito grande.
Temas como o da Campanha da Fraternidade estão voltados para essa problemática, afim de conscientizar a todos. Em escolas é cada vez mais freqüentes esses assuntos e até mesmo em vestibular. Mas no meu ver esse assunto já tinha que estar sendo abordado com uma urgência maior a muito tempo.
O maior problema é que todos sabem o que fazer. Todos sabem que o mundo aos poucos está morrendo. Mas todos simplesmente ignoram, parece que por um momento esquece que habitamos o planeta Terra, e que quando este estiver próximo ao fim, seremos os primeiros a ser aniquilados. Não devemos ficar criticando o governo, visinho, o estado, o amigo, a irmã, devemos cada um fazer a nossa parte que aos poucos as pessoas ao nosso redor vão tomar consciência que é necessário fazer algo.
Isadora Gratão ano 'A'

Anônimo disse...

Definitivamente, notamos que a poluição, aumenta cada vez mais, e a conscientizacao diminui, confirmando que a poluição e a conscientizacao ambiental sao inverssamente proporcionais, ja que os interesses econômicos e de avanço tecnológico sao maiores do que a vida de um planeta e de tudo que o habita, a todos os momentos e possível perceber, o clamor da terra por socorro, e a populaçao que vinge nao escutar e simplesmente prefere continuar poluindo, agredindo e matando cada vez mais o meio ambiente!pois se nos nao conseguimos preservar um presente de Deus nada mais sera preservado.
de:Ana Cecilia Cavalcante- terceiro ano ``A``.

pedao disse...

O texto é muito interessante ,pois fala de quase tudo que a população faz com o planeta , e muitos falam que vão fazer projetos para "ajudar" o planeta , mas isso fica só no papel(como sempre ocorre na maioria das vezes). No mundo inteiro existe ONGs(Organizações não governamentais)que desenvolvem projetos para tentar conscientizar a população do que está ocorrendo no mundo , mas como sempre ninguém tentar mudar , os governantes falam que vão inserir novas medidas para diminuir a poluição ,como exemplo :investir em transporte publico ,para que as pessoas deixem seu veículos automotores em casa, mas os investimentos são baixos então as pessoas preferem ir no conforto de seus veículos ,pois são mais rápidos e confortáveis ,e muitos querem ter carros ou motos de altas cilindradas , que poluem mais o meio ambiente , as pessoas compram carros super luxuosos e potentes(poluentes) para na maioria das vezes mostrar status , mas essas pessoas não pensam que esses super "carrões" tem um auto índice de poluição e isso pode causar problemas sérios no futuro bem próximo , e o Brasil como tem vários "reservatórios" de petróleo , não vai deixar de o usar um combustível fóssil (que é mais (poluente)para usar um biocombustível que podemos dizer que é menos poluente .Portanto eu posso dizer que si ninguém cooperar continuaremos nessa "CONTRA MÃO".
Aluno:João Pedro Roriz v.Quintanilha
3ºano "a" do ensino médio , COLÉGIO ULBRA PALMAS .

tata34 disse...

O aquecimento global é hoje uma das nossas maiores preocupações e que devemos nos preocupar, porque envolve não só eles .. Mas sim, todos à nossa volta!

Um clima global mais quente quer dizer mais problemas. O que significa que vai ocorrer alterações nos padrões do vento e da precipitação, sem esquecer a subida inevitável do nível dos oceanos e mares. Estas alterações afetarão animais e plantas, bem como a própria vida humana. Vai gerar consequências negativas na nossa saúde, trazendo graves prejuízos também na nossa econômia.

Fazemos parte desse ecossistema, somos parte desse conjunto.. retiramos tudo que precisamos para viver. Desde os alimentos até o petróleo e seus derivados. Precisamos tomar consciência de nossa autodestruição, ou teremos que descobrir uma nova forma de vida e de alimentação, pois da natureza não iremos mais conseguir retirar.. !!!

Thainá Leite - 3ºB

Anônimo disse...

Bom, como sempre nós brasileiros, pensamos sempre em primeiro lugar, em nos beneficiar, nem que seja por meios impróprios, não apenas com a questão ambiental, e isso, no final das contas, acaba prejudicando a nós mesmos. Esse é uns dos maiores erros dos seres humanos, deixar sempre por contas dos outros, achando que apenas concordar vai ajudar! Temos que falar menos e agir mais. Se não formos nós os capazes de proteger o nosso próprio país da poluição, quem será? Barack Obama?

Aluna: Paula Araújo 3° ano "B"

Taís Correa disse...

A história da insdustrialização, começo de tecnologia ocorreu à bastante tempo atrás, o que preocupa o mundo inteiro é quando será que teremos a verdadeira resposta para todo esse aquecimento global, extinção dos animais e desordem, na minha opinião, o mundo ainda não acredita que possamos vivem em um país capitalista, consumista, sem haver poluição. O Brasil está em processo de aceleramento, ou seja, aquecimento de industrias, trabalhos em ativa, mercado; ou seja, estamos crescendo e possuindo o hábito de consumir, gastar, POLUIR! Esta é a minha opinião sobre o mundo, estamos "diminuindo" significamente na população, o povo passa a viver mais, consumir mais e poluir mais, estamos hábitos a termos NOSSO proprio carro, dinheiro, nosso proprio poder, ou seja, estamos nos tornando cada vez mais individualistas conosco mesmo e com o nosso planeta, natureza.
Aluna: Taís Ferreira Correa
3o ANO "A"
Colegio Ulbra Palmas

Anônimo disse...

Realmente é desse jeito... só vamos tomar alguma iniciativa quando o prejuízo chegar realmente a nós, ou ao nossos bolsos, porque é o que importa nesse mundo capitalista. Nos deparamos com o crescimento do buraco na camada de ozônio, aumento rápido da temperatura, geleiras derretendo e com muito sacrifício fazemos uma coisa mínima ali outras aqui.
Não devemos esquecer que o aquecimento global é acelerado graças à atividades humana. Preferimos usar combustível fóssel (petróleo, carvão, gás), que quando queimado libera gases como o CO2, sem lembrar as indústrias, que liberam muito isso.
O índice de câncer de pele vai aumentar cada vez mais, porque o que nos protegia dos raios ultravioleta, está com buracos.
Devíamos preocupar em utilizar produtos ecologicamente corretos.
Essa ambição do homem, a busca por ser o melhor economicamente, cresce na medida que o planeta se destrói.
A vida é mais importante que a economia.
Brincamos com um coisa séria,pensamos que o planeta suporta tudo e sobreviverá. Tomara que não acordemos tarde demais.
Bárbara - 3ºano - ensino médio

Ludmilla Moreira disse...

Deveríamos nos perguntar: O que estamos fazendo com o mundo que Deus nos deu, será que estamos cuidando bem dele?!

É urgente se falar em educação ambiental! Nossa geração tem que acordar, agir, e preservar o belíssimo planeta Terra.
Atitudes, que parecem antipáticas, têm grandes efeitos; como reduzir o tempo durante o banho, recolher do chão algo que alguém jogou e depositar o lixo em seu devido lugar, verificar torneiras, etc. Devemos nos tornar "multiplicadores de bons exemplos" para podermos viver em equilíbrio. É necessário a ÉTICA! É a preservação da vida!
Devemos educar nossas crianças, para que elas cresçam com alguma consciência favorável ao meio ambiente. Lutar verdadeiramente... Não esquecer que os políticos também podem tomar certas atitudes em favor da preservação ambiental, portanto, votar com consciência é essencial (mesmo tendo "poucas" opções).

"O homem equilibrado, equilibrará o planeta" (Ivone Boechat);

"A diferença entre o possível e o impossível está na vontade humana."
(Louis Pasteur);

PAZ.
*Ludmilla Moreira,
3ª série do Ens. Médio.

Polyanne Silva Neves 3° ano B disse...

Bom , podemos ver que o ser humano não anda nem um pouco preocupado com as consequencias da poluição no mundo , mais como se diz um velho ditado : tudo que se planta colhe , então se plantamos coisas boas colheremos coisas boas , e se plantamos coisas ruins , colheremos coisas ruins . São poucos os que tentão amenizar o que a maioria anda fazendo . Estamos vendo todo os dias , na mídia o resultado das super tecnologias que o HOMEM faz para facilitar a vida , mais será que está falicitando ou piorando ?
Na Biblia cita : Nos últimos dias a ciência se multiplicará (Dn. 12:4-4)

Lara Camargo 3º B disse...

Se formos pensar, estes países que agora tentam frear, já destruíram muito e bem mais do que o Brasil é capaz de destruir, pois o fazem há séculos.
O grande problema é que as pessoas buscam, a qualquer custo, lucros materiais e um "pseudo-desenvolvimento" (pois se este destrói o planeta, não pode ser considerado desenvolvimento).
E o resultado disso é o que nós vemos acontecer a todo momento: terremotos, tsunamis, e desastres naturais de todos os gêneros.
Não importa o que os seres humanos façam, o quanto se sintam superiores; em questão de segundos, tudo isso pode ser destruído, tudo o que nos faz sentir superiores em relação aos outros seres vivos, e à própria natureza, se reduz a um monte de escombros, mortos e agonia.
O que só reforça a nossa insignificância perante a força da natureza.
Mas se todos acordassem e começassem a agir pelo planeta, se os poderosos parassem de investir em 'destruição' (como o Brasil ainda faz) e se as pessoas parassem de dar tanto valor ao dinheiro, e começarem a dar mais valor a vida, talvez ainda consigamos reverter, pelo menos um pouco, todo o mal que causamos ao planeta e preservar a nossa existência. Talvez.

adriano eduardor disse...

e muitas pessoas ta procurando compra um carro menos poluente. a idéias deles foi boa . e também. e mais econômico. e num afeta a nimguem. acho que e ate mais barato. e foi a china que teve essa idéia. muinto bom.

Rafael Moraes disse...

Prof.Pastor Renato, não posta meu comentario, só ler, se o senhor achar que tá legal, ai o senhor posta.(Brigado).

Vamos comentar do Nosso país
pois os outros paises ja estão procurando meios para melhorar a questão da poluição e destruição do meio ambiente. O Brasil especificamente é um dos paises que do qual sua população nem se preocupa com as questões ambientais, isso precisa mudar, precisamos de uma educação melhor, de mais foco neste assunto, pois uma criança que joga a embalagem de um simples picolé pela janela do carro e o seus pais não falam absolutamente nada, futuramente essa criança será um adulto que não está nem ai para o ambiente.
Essa 'reeducação' tem que ser aplicada principalmente nas crianças, que tem de crescer sabendo que deve jogar o lixo separado, cada um no devido lugar.
Mas realmente a população do nosso país só quer saber de lucrar e lucrar com as coisas mais "fáceis", como colocar gasolina em um carro flex, podendo colocar o Etanol de cana que emite menos 70% de gás carbônico do que gasolina, ou que deixe de andar de carro todos os dias, e pegue um ônibus para ir para o seu trabalho.
Más quando tocamos neste assunto de transporte coletivo, o Governo também precisa colocar a mão no bolso e melhorar os transportes das grandes metrópolis, em São Paulo por exemplo, é um absurdo como as pessoas são tratadas, cidadões são tratados como animais, parecem 'sardinhas na lata' quando entram em um ônibus de São Paulo.
Como o próprio relato acima diz, primeiro tem que reeducar a população, pois se continuar assim "NA CONTRAMÃO DO PLANETA", o pais vai só se deteriorar a cada dia, temos que fazer nossa parte, pois se cada um fizer sua parte, já é um bom começo para podermos reverter essa situação e poder andar na mesma direção do planeta ou seja, conseguiremos amenizar o estrago que já está o planeta.
Rafael Moraes (3° "A" colégio Ulbra Palmas).

Moara Késsya : 3º ano disse...

é como diz no começo , "Quando se trata na diminuição do CO2 no mundo, o Brasil parece caminhar em sentido contrário" , nao estamos fazendo absolutamente nada para melhorar tal feito. quantos paises que estao deixando de lado varias materias primas para uma melhor sobrevivencia, enquanto nois brasileiros estamos fingindo que isso é bobagem, e esquecendo de ajudar a nois mesmos. Se todos os paises tivessem a consciencia do Japão em tirar a Honda Civic por causa da emissão de poluentes, nosso mundo agradeceria, mas ao invez de ajudar, estamos atrapalhando, produzindo novos meios de transportes e almentando a poluição. o que adianta criar o etanol e nao ser abastecido ? se nosso Brasil quizesse realmente ajudar, diminuiriam o valor e acabariam com o combustivel fosseo. Se nos juntase-mos, e fizermos uma revolução contra tudo isso, nosso mundo estaria salvoo, e nois poderíamos ficar despreocupados em relação a nossos netos, bisnetos, e assim por diante.

rafaella disse...

As pessoas só querem saber de lucrar e satifazer seus desejos sem pensar nas consequencias, como é o caso do uso de combustivéis no Brasil. Os brasileiros podendo estar ajudando a melhorar o país, não querem por o simples fato de não lucrarem com isso. Os nossos governantes deveriam criar uma lei proibindo a venda de combustíveis fósseis, assim nós não teriamos escolha e usariamos combustíveis não poluentes.
No caso do lixo doméstico, as prefeituras deveria apoiar mais as instituições de reciclagem e tentar mandar pessoas nas residencias para sensibilizar e informar os moradores.
Rafaella Leão . 3ª B

Jabhes Altair disse...

Toda atividade humana gera impacto ambiental,pois ocorre a alteração do meio ambiente ou em algum de seus componentes por determinada ação humana. Como por exemplo, a derrubada de algumas árvores, para construir Ferrovias. As principais conseqüências do desmatamento são: Destruição da biodiversidade; Genocídio e etnocídio das nações indígenas; Erosão e empobrecimento dos solos; Enchente e assoreamento dos rios; Diminuição dos índices pluviométricos; Elevação das temperaturas; Desertificação; Proliferação de pragas e doenças.
O efeito estufa, que consiste na retenção de calor irradiado pela superfície terrestre, pelas partículas de gases e de água em suspensão na atmosfera, garante a manutenção do equilíbrio térmico do planeta e, portanto, a sobrevivência das várias espécies vegetais e animais. Sem isso, certamente, seria impossível a vida na Terra ou, pelo menos, a vida como conhecemos hoje. É devido aos impactos ambientais, novas tecnologias, biodiversidade e a produção de novas energias, que ocorre gradativamente a diminuição dos gases que reduz a passagem dos raios solares na Terra.

Sâmela Ariely disse...

Na contramão do Planeta, por que enquanto é necessário reduzir os gases que têm capacidade de absorver calor, acontece justo o ao contrário, ocorre o aumento desses gases na atmosfera. Tudo isso devido por causa dos impactos ambientais, novas tecnologias e da produção de novas energias. Pois os impactos ambientais são as alterações no meio ambiente por determinada ação humana, tendo como conscequência o desmatamento de florestas provocando vários problemas ambientais: Destruição da biodiversidade; Genocídio e etnocídio das nações indígenas; Erosão e empobrecimento dos solos; Enchente e assoreamento dos rios; Diminuição dos índices pluviométricos; Elevação das temperaturas; Desertificação; Proliferação de pragas e doenças. A destruição ou, diminiuição, da camada de ozônio provoca o aumento do efeito estufa, tendo como maior consequência o aquecimento global.

Bruno Gualberto 3ºA disse...

Realmente como diz o texto, muito se fala em menos poluiçao e tudo mais, mais quando paramos para ver o que realmente esta mudando, nos deparamos com uma veradade desagradavel, por um segundo paramos e pensamos, mais é tudo momentaneo
e continuamos a fazer as mesmas coisas que faziamos.Se cada um nao parar para pensar e realmente agir e mudar, nosso planeta nao tera um futuro muito bom !

joão pedro disse...

pois é professor o mundo está perdido muita poluição,desmatamento,assoreamento esses fatores estão contribuindo para o acontecimento do efeito estufa,assim devemos nos mobilizar fazer campanhas para a concientização das pessoas para a melhora do nosso pleneta que hoje pede ajuda.
devemos concietizar as pessoas para usarem mais as bicicletas,comprar automóveis
que poluem menos entre outros meios de diminuir a poluição.

essa frase eu gosto muito que diz:
'CORRE O MUNDO TEM PRESSA E PRECISA DA NOSSA AJUDA'.


JOÃO PEDRO RODRIGUES BARBOSA
3ºA

Anônimo disse...

O que acontece com a maioria da população não só brasileira, mas em todos os países que vivem um sistema capitalista é que ninguém quer abrir mão do que possa render lucro.
Todos falam em um mundo melhor, um mundo com menos poluição, menos desmatamento, menos produção de CO2, porém ninguém esta disposto a abrir de algum beneficio próprio para o bem do meio ambiente. Foi falado no texto a questão do uso do Etanol, porém pela grande produção da cana de açúcar o preço do Etanol está elevadíssimo, compensando usar hoje em dia a gasolina para abastecer automóveis. Um exemplo de países capitalista que não abrem mão dos recursos usados como forma de ganhar dinheiro, foi o tratado que Kioto no qual o maior poluente do mundo, o EUA não quis assinar, pois alegou que poderia perder lucros.
Todos nós queremos ver resultados, mas não mudamos nossos atos, não lutamos para que essa realidade mude.

Aluna: Juliana Chaves